Quem quiser se dar bem em 2020 terá que reinventar o Marketing Político e Eleitoral

Quem não parou para pensar como será nosso futuro? Ou imaginou de que forma pretende implementar um marketing capaz de levar um candidato a uma eleição? Ou fazer ainda sua empresa ser conhecida?

Pois bem. O ano de 2018, como eu já previa há muito tempo e avisava aos empresários e políticos, foi tipicamente voltado para o Marketing Digital. Televisão, debates, propagandas, santinhos, material didático tornaram-se artigos de luxo e com pouco ou quase nada eficácia para a campanha eleitoral. Compra de voto, cesta básica? Não estão mais em voga, como há dez anos. Bom para o eleitor. Perigoso para os candidatos que terão que inovar e entrar cada vez mais de cabeça no cenário digital se não quiserem ficarem para trás.

Mas o que fazer para chamar a atenção com pouco dinheiro e ser visto nas redes sociais, gerar interesse no eleitor por propostas? Primeiro temos que apostar nas redes sociais de forma ampla: facebook, instagram, twitter e, principalmente, whatsapp. E ter respostas sempre para evitar as chamadas “Fake News”. E como fazer isso? Falando diretamente com aquele que precisa ser atingido: o eleitor. E agora? Nas redes, ora.

O político que quiser atingir sucesso terá que trabalhar o discurso, as ideias, as propostas antes e durante a campanha eleitoral. Uma coisa é fato: não se tem resultado tendo apenas a rede social ativa na véspera da campanha. Quem teve êxito fomentou as redes sociais durante no mínimo dois anos. Para 2020, os comícios digitais, lives e debates ao vivo serão a sensação. Nem pense que os showsmícios acabaram. A rede social te dá ampla possibilidade de fazer isso. E com os canais de estreias você poderá criar expectativa.

Outra lição que temos que fixar para 2020 é justamente entender que não se transpõe a campanha política offline (na rua) para o digital. Claro que precisamos ter metade do tempo nas ruas, conversando com a população, ouvindo suas queixas. Mas esse é o social da campanha, até para termos materiais para divulgarmos nas redes sociais. O segredo está no equilíbrio e ter um conteúdo específico para cada movimento. Um exemplo prático foi o resultado de Henrique Meirelles (MDB) – um candidato “analógico”, que não se adaptou a era digital e foi ultrapassado até mesmo pelo Cabo Daciolo (Avante) nas redes sociais e nas urnas.

Posicionamento da Marca – Primeira coisa a fazermos é analisar o foco principal do candidato, a imagem que ele quer passar e, principalmente, as propostas que ele tem. Se está pensando em 2020, precisa ter isso desenhado AGORA. Analisemos: Jair Bolsonaro (PSL) poderia não ter propostas consistentes, mas tinha um posicionamento claro, mesmo desagradando vários setores da sociedade. A estratégia dele era o ataque, dessa forma tinha que debater muito menos os posicionamentos. Já Fernando Haddad (PT) acabou crescendo não apenas pelo advento Lula, mas porque sabia dialogar com os diversos grupos sociais. Ele criou um perfil para cada público. No entanto, não tinha como decolar pela rejeição social ao partido que ele representava. Já Ciro Gomes (PDT) deixou seu discurso muito elitizado e discutiu muito com o setor jovem, deixando de lado o grande público que poderia ter invertido a preferência por Haddad e garantido um segundo turno.

Em outras palavras: em 2020 o candidato vitorioso deve usar a estratégia de ter clareza nas convicções, segmentar seu público e atacar as fraquezas do adversário. Não ele diretamente. Mas se for necessário, não deixar de fazer. A guerra passa a ser digital. Vencerá o mais eficaz na Arte da Guerra Digital! E me desculpem os que ficaram em tempos passados, mas vocês tendem ao fracasso!

Por Luciana Pombo, via Ventura Comunicação & Marketing. Mais informações: (41) 99229-1359. Atendemos clientes de todo o Brasil

Marketing Político Digital: tendências e preferências do público

Um relatório sobre economia digital divulgado no final do ano passado pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD, na sigla em inglês) colocou o Brasil em quarto lugar no ranking mundial de usuários de internet. São 120 milhões de brasileiros conectados na rede mundial de computadores.

Mas em Marketing, o Brasil ainda está engatinhando. Quem trabalhava com a ferramenta não se atualizou e muitos jovens ainda tentam usar a mídia digital apostando pura e simplesmente na publicidade – esquecendo de primeiro vender a imagem, através da comunicação social, de grupos, de elogios em redes sociais.

Isso vale para empresas e vale muito mais para política. As últimas eleições nos Estados Unidos e França mostraram que se comunicar através do marketing digital fez a diferença para os candidatos vencedores nestes dois países. E não estamos falando pura e simplesmente em criar página no Facebook, Twitter e ter um número de WhatsApp cheio de grupos. O marketing digital é muito mais do que isso. Ele veio para estabelecer conexões ativas, interativas, diretas, pessoais. Veio para gerar engajamento nas mais diversas “causas” de interesses de grupos ou segmentos da sociedade.

Frases curtas e muita informação são algumas ferramentas. Responder sempre a maior delas. O marketing digital consegue identificar os interesses do consumidor, seus hobbies, trabalho, estilo de vida. Você pode fazer enquetes nas redes sociais e usar os resultados em plataformas políticas, por exemplo.

Anúncios pagos – Outra questão importante é a capacidade de posicionar anúncios pagos nas redes sociais de maneira a alcançar seus eleitores. Postar “santinhos” de candidatos não é o ideal para se fazer campanha política nas redes sociais. Conteúdos criativos, com mensagens que convertam clicks em engajamento às propostas e causas será o grande diferencial entre os candidatos. De novo: jornalismo, comunicação social…

Agências – Poucas agências reúnem condições de prestar este serviço de marketing digital para as empresas, e no campo político o número ainda é bem menor, principalmente, pela especificidade dos conteúdos a serem produzidos. Pela larga experiência no ramo, indicaria a Ventura Comunicação & Marketing. Vale a pena se aventurar na experiência de se fazer ver e ouvir pela sociedade brasileira.

Serviço – Entre em contato com a Ventura Comunicação através do whatsapp (41) 98524-6606.

Brasil precisa avançar no Marketing Digital

O Marketing Digital tem conquistado cada vez mais o Mundo. Mas o Brasil ainda está atrasado cerca de oito anos em relação aos países considerados de Primeiro Mundo. A afirmação foi feita por Aaron Ross, autor do livro Receitas Previsíveis: Transforme seu negócio numa máquina de vendas, durante o RD Summit 2014 – um dos maiores eventos de marketing digital da América Latina e que foi realizado no Brasil.

Se você pensa em redes sociais quando se fala em Marketing Digital você está parcialmente correto. O marketing digital é importante. Mas existem outros meios eletrônicos de se conquistar um cliente como o blog, o site e os comentários feitos em segmentos especializados.

Mas não adianta apenas definir o público alvo e começar a fazer o seu trabalho pela Internet. Você precisa continuar a aprimorar e isto passa pelo Inbound Marketing – estratégia focada na atração de clientes potenciais através da internet. Após levar seu cliente até onde você pretende, a dificuldade é conquistar a confiança deste visitante para que sua empresa seja lembrada no momento que ele necessite do produto ou do serviço que você oferece. Neste caso, você deixa de ter que correr atrás do cliente e agora ele é quem vai atrás de você quando estiver pronto para tomar uma decisão de compra.

Outro ponto fundamental é fazer com que palavras chave do seu negócio apareçam em destaque nos mecanismos de pesquisa. Ou seja, quando ele entrar no Google e digitar a palavra Marketing deverá aparecer a palavra Ventura Comunicação & Marketing, por exemplo. É a partir desta identificação de quais são estas palavras é que você poderá criar uma estratégia de Inboud marketing.

Não esqueça que você necessariamente terá que produzir conteúdos. Eu não costumo discutir com as pessoas que acreditam que não precisam de um blog ou de um site para definitivamente alcançar seus objetivos. Cedo ou tarde ela perceberá que precisa. O chamado Marketing de Conteúdo é certamente a melhor maneira de atrair clientes potenciais. Produzir conteúdos relevantes que demonstrem a autoridade da empresa em sua área de atuação. Os resultados não são imediatos e, por isto, muitos desistem. Eles são de médio e longo prazo, mas apresentam a melhor relação custo-benefício.

Quer saber mais sobre marketing digital? Que tal aplicar em sua empresa?

Você tem suas dúvidas! Nós, a solução!

Ventura Comunicação – Fones (41) 9229-1359 (também whatsap) / (41) 3402-5825
Email – lucianapombo@hotmail.com